logo
/

Prefeitura e Saae lançaram as obras da nova Estação de Tratamento V. Régia

clip_image002

A Prefeitura de Sorocaba, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), realizaram na manhã desta quarta-feira (20) o lançamento da pedra fundamental, e o início das obras, da nova Estação de Tratamento de Água Vitória Régia (ETA Vitória Régia), em cerimônia realizada no local do empreendimento, na avenida Antônio Silva Saladino, Parque Vitória Régia, zona norte da cidade, com as presenças da prefeita Jaqueline Coutinho e do secretário de Recurso Hídricos, Ronald Pereira da Silva; vereadores; deputados e secretários municipais, entre outras autoridades, além de funcionários e ex-diretores da autarquia.

A nova Estação de Tratamento de Água Vitória Régia terá algumas características inovadoras, incluindo a captação de água bruta diretamente no rio Sorocaba e processamento à base de ozônio, fato que se tornou possível após a conclusão do complexo de obras do Programa de Despoluição do Rio Sorocaba, que incluiu 28 km de interceptores nas duas margens do rio; 18 estações elevatórias de bombeamento e 7 Estações de Tratamento de Esgoto, possibilitando  recuperação das suas águas e do seu ecossistema.

Compacta e empregando o que há de mais moderno em tecnologia de saneamento, a ETA Vitória Régia será totalmente automatizada e terá capacidade para tratar, inicialmente, 750 litros de água por segundo, com ampliação prevista para 1.500 litros por segundo, numa segunda etapa.

Atualmente, Sorocaba possui um sistema de tratamento e distribuição que possibilita a produção de 2.500 litros de água tratada por segundo, formado pelas Estações de Tratamento de Água do Cerrado e do Éden.

A área onde será implantada a ETA Vitória Régia foi desapropriada há alguns anos pela autarquia. Com 166 mil metros quadrados, o espaço destinado à implantação da nova Estação de Tratamento de Água de Sorocaba vem sendo preparado desde o início deste ano, recebendo intervenções de terraplanagem.

Cidade toda será beneficiada

Com a implantação da ETA Vitória Régia, não apenas a zona norte da cidade será beneficiada com o empreendimento, visto que o novo sistema será interligado à infraestrutura atualmente existente.

Desta forma, as ETAs Cerrado e Éden, e as represas do Clemente (Itupararanga), Ferraz e Ipaneminha trabalharão de forma integrada, contribuindo para a ampliação da capacidade de adução, tratamento e distribuição de água da cidade como um todo.

R$ 77,9 milhões

O investimento da Prefeitura de Sorocaba e do Saae neste projeto será de R$ 77.956.527,01, conforme contrato assinado com a Goetze Lobato Engenharia Ltda. (GEL) – empresa vencedora do processo de licitação -, que terá trinta meses para concluir a obra.

Os recursos incluem financiamento do programa Saneamento para Todos e CPAC, do Governo Federal, e contrapartida com recursos próprios e financiamento pela Caixa Econômica Federal.

Histórico

O histórico da nova ETA Vitória Régia começa há treze anos, em janeiro de 2004, quando ocorreu o rompimento das quatro adutoras que trazem água bruta da serra de São Francisco para o tratamento e distribuição em Sorocaba. Naquela oportunidade, depois de fortes chuvas, grandes pedras rolaram da encosta da serra e atingiram as tubulações.

Acreditava-se que tinha sido um acidente único e raro, e que dificilmente voltaria a ocorrer num curto espaço de tempo. Dois anos depois, em janeiro de 2006, novamente após fortes chuvas, um novo acidente geográfico ocorreu na serra de São Francisco e a maior das adutoras, de 800 milímetros de diâmetro, foi rompida.

Nas duas oportunidades, mesmo com a dedicação, esforço e envolvimento dos funcionários do Saae e de empresas terceirizadas, a cidade permaneceu sem água por alguns dias, causando transtornos e reclamações. Como consequência dos dois acidentes seguidos, o Saae deu início às obras visando à preservação das adutoras, com intervenções que incluíram o jateamento de concreto para a estabilização da encosta; amarrações das grandes pedras existentes com cabos de aço e a implantação de muros e malhas especiais de proteção.

Paralelamente a essas obras, os dirigentes, engenheiros e técnicos da autarquia concluíram que era necessário buscar uma alternativa aos 14 quilômetros de extensão das adutoras, que possibilitasse a captação de água bruta no próprio município, e diretamente no rio Sorocaba, fato que já se vislumbrava como possível, a partir da recuperação de suas águas, como resultado das obras do Programa de Despoluição.

Deu-se início então à movimentação que possibilitaria a concretização da ideia, com a busca de linhas de financiamentos visando à implantação de um novo sistema produtor de água tratada, incluindo a estrutura para a captação e uma Estação de Tratamento localizada próximo ao rio.

Além do financiamento para a obra, era necessário também viabilizar tecnicamente a ideia, e desta forma a autarquia começou a desenvolver o projeto executivo do novo sistema a ser implantado, que passou por diversas etapas, incluindo estudos, análises, ensaios, experimentos e até a construção de uma ETA-piloto, em escala menor, que permaneceu em funcionamento por alguns meses, demonstrando e comprovando que era possível captar, tratar e distribuir as águas do rio Sorocaba.

Prefeitura e Saae lançaram as obras da nova Estação de Tratamento V. Régia

 

clip_image002ETA Vitória Régia 1

A Prefeitura de Sorocaba, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), realizaram na manhã desta quarta-feira (20) o lançamento da pedra fundamental, e o início das obras, da nova Estação de Tratamento de Água Vitória Régia (ETA Vitória Régia), em cerimônia realizada no local do empreendimento, na avenida Antônio Silva Saladino, Parque Vitória Régia, zona norte da cidade, com as presenças da prefeita Jaqueline Coutinho e do secretário de Recurso Hídricos, Ronald Pereira da Silva; vereadores; deputados e secretários municipais, entre outras autoridades, além de funcionários e ex-diretores da autarquia.

A nova Estação de Tratamento de Água Vitória Régia terá algumas características inovadoras, incluindo a captação de água bruta diretamente no rio Sorocaba e processamento à base de ozônio, fato que se tornou possível após a conclusão do complexo de obras do Programa de Despoluição do Rio Sorocaba, que incluiu 28 km de interceptores nas duas margens do rio; 18 estações elevatórias de bombeamento e 7 Estações de Tratamento de Esgoto, possibilitando  recuperação das suas águas e do seu ecossistema.

Compacta e empregando o que há de mais moderno em tecnologia de saneamento, a ETA Vitória Régia será totalmente automatizada e terá capacidade para tratar, inicialmente, 750 litros de água por segundo, com ampliação prevista para 1.500 litros por segundo, numa segunda etapa.

Prefeitura e Saae lançam a pedra fundamental da ETA Vitória Régia

clip_image002

A Prefeitura de Sorocaba, e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), realizam nesta quarta-feira (20) o lançamento da pedra fundamental, e o início das obras, da nova Estação de Tratamento de Água Vitória Régia (ETA Vitória Régia), em cerimônia marcada para as 10h, na avenida Antônio Silva Saladino, 351 – Parque Vitória Régia, zona norte da cidade.

Na oportunidade, serão apresentados os detalhes do empreendimento e a sua importância para o sistema de saneamento e distribuição de água à cidade.

Saae participará de cursos sobre despoluição de córregos e operação de sistemas de esgotos

Em continuidade ao programa de capacitação e aprimoramento dos seus profissionais, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba participará de dois cursos, que terão início neste mês, sobre a despoluição de córregos em áreas urbanas e a operação de sistemas de esgotos sanitários, promovidos pela Universidade da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Uniabes), por meio do seu centro de conhecimento e capacitação, instalado no Rio de Janeiro/RJ.

Os cursos à distância, que terão duração de três meses, serão direcionados à capacitação de cinco chefes de setor e departamento, integrantes da diretoria operacional de esgoto e drenagem da autarquia, e visam o aprimoramento do gerenciamento de processos, para a utilização de técnicas para a melhoria da qualidade e produtividade dos trabalhos prestados em Sorocaba.  

De acordo com o diretor operacional de esgoto e drenagem da autarquia, engenheiro Rodolfo Barboza, o curso sobre a despoluição dos córregos abordará temas que abrangerão conhecimentos técnicos e gerenciais para a aplicação na cidade, visando identificar estratégias e fornecer aos profissionais as técnicas a serem utilizadas, baseadas em experiências bem sucedidas. “Com relação à operação de sistemas de esgotos sanitários, o objetivo é a capacitação dos nossos coordenadores de equipes para o diagnóstico dos sistemas e sua função de operação para o planejamento da operação, em situações normais e de emergência, passando pela execução da operação e finalizando com as ações corretivas e preventivas”, destacou.

Saae começou a recuperar margens do rio em trecho do Vitória Régia

clip_image001 clip_image002

As intervenções de recuperação das margens do rio Sorocaba, iniciadas há quarenta dias pelo Departamento de Drenagem do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), entraram na última quarta-feira (06) em sua segunda etapa, com o começo dos trabalhos em trecho localizado no Parque Vitória Régia, próximo à rua Sylvio Fernandes Oliveira.

De caráter preventivo, essa recuperação consiste na remoção de bancos de areia que se formaram nas margens e que avançaram para o leito do rio, estreitando a sua calha, comprometendo a vazão e provocando erosões na margem oposta, devido à movimentação desordenada das águas.

Nesta nova fase do trabalho programado, um trecho de 100 metros de extensão da margem esquerda será recuperado, com previsão de trinta dias para o término das intervenções, que são desenvolvidas com a utilização de escavadeiras hidráulicas e caminhões basculantes para o transporte do material removido e disposição em aterro apropriado.

Primeira fase concluída

Na última terça-feira (05) a autarquia finalizou a primeira etapa do trabalho de recuperação das margens do rio Sorocaba, com a conclusão das intervenções num trecho de 350 metros, em direção a Votorantim, entre a ponte de Pinheiros e a foz do córrego da Água Vermelha.

Neste trecho, os bancos de areia que avançaram para o leito foram removidos e a calha do rio retornou à sua concepção natural, fato que deverá contribuir para a diminuição da intensidade de alagamentos registrados em períodos de fortes chuvas naquele ponto.

Em 2018 a autarquia pretende retomar as intervenções de desassoreamento do leito do rio Sorocaba, que foram realizadas sistematicamente por quase vinte anos e foram interrompidas.      

Saae promove treinamento para padronização dos serviços

 

clip_image001

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba deu início na última segunda-feira (11) à Semana de Implantação de Procedimentos Operacionais, evento que será desenvolvido no auditório do Centro Operacional da autarquia, na avenida Camilo Júlio, Jardim Ibiti do Paço, com o objetivo de padronizar os procedimentos dos diversos serviços prestados à população.

O treinamento está sendo aplicado pelos chefes de setores e departamentos da autarquia, sendo direcionado a 140 funcionários operacionais, incluindo encanadores, motoristas/monitores e ajudantes de serviços de três setores pertencentes à diretoria operacional de água, que incluem manutenção em redes de água; hidrometria e pitometria; e implantação de novas redes e novas ligações de água.

A intenção da autarquia, conforme destaca o diretor-geral Ronald Pereira da Silva, “é de que haja uma uniformização das rotinas do trabalho operacional, para que a execução de cada intervenção apresente excelência, com a redução de retrabalhos, evitando assim desperdício de materiais e consequentemente diminuindo os custos de uma forma geral”.

De acordo com o programa estabelecido, alguns temas estão sendo desenvolvidos durante o treinamento, como o correto planejamento das ações que serão desempenhadas pelos funcionários, antes que saiam para os trabalhos de manutenção, possibilitando maior agilidade na execução das intervenções e mais qualidade nos serviços realizados. Outra questão abordada são as sinalizações das obras, pois nos casos em que há interferência no tráfego pedestres e veículos há a necessidade de garantir a segurança e fluidez do trânsito e a acessibilidade de pessoas.

Segundo o diretor operacional de água da autarquia, engenheiro Marcelo Moretto, a implantação da padronização dos procedimentos operacionais garantirá a identificação das responsabilidades de cada um dos servidores envolvidos. “Tudo o que for procedimental será abordado, como a correta utilização do uniforme de trabalho; a abordagem adequada junto aos munícipes; os critérios para a conferência de dados e anotações pertinentes; a verificação de irregularidades, como violações em hidrômetros, por exemplo – em que há a necessidade de documentar o fato -;  a utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs) para a prevenção de acidentes pessoais; e a limpeza de calçadas e vias após a execução das intervenções”, explica Moretto.

Novo Centro de Distribuição Ipatinga está em fase final de obras

 

clip_image001 clip_image002

Com o objetivo de ampliar as condições atuais de abastecimento de bairros já existentes e atender novos loteamentos e empreendimentos previstos para a zona oeste da cidade, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba, em parceria com um consórcio de empreendedores, está concluindo as obras de implantação do novo Centro de Distribuição de água Ipatinga, localizado na confluência da avenida Dr. Américo Figueiredo com a estrada do Ipatinga.

“Em situações como essa, em que determinada região da cidade ainda não está incluída no plano diretor da autarquia, ou entrou recentemente, como no caso do Ipatinga, existe a possibilidade de parceria com empreendedores, que diante da urgência de utilizar o sistema público de abastecimento de água tratada e de coleta e afastamento de esgoto, se responsabilizam pelos custos dos sistemas que precisam ser implantados, enquanto que a autarquia oferece o suporte técnico e assume as operações e as manutenções após a conclusão das intervenções”, esclarece o diretor-geral da autarquia, Ronald Pereira da Silva.

As obras do novo Centro de Distribuição Ipatinga tiveram início em abril deste ano e consistem na implantação de duas casas de bombas (boosters); uma linha de adução de 2,5 quilômetros de extensão; e um reservatório com capacidade para 2 milhões de litros de água.

As duas casas de bombas – uma no Centro de Distribuição Sorocaba I (Conjunto Habitacional “Júlio de Mesquita Filho”) e a outra no novo Centro de Distribuição Ipatinga – estão em fase final da construção civil, e em seguida receberão os conjuntos de moto bombas e painéis de controle.

A linha de adução de 2,5 quilômetros – que vai ligar os CDs Sorocaba I e Ipatinga –  já está pronta, sendo composta de tubos em PVC de 300 milímetros de diâmetro, com traçado incluindo a rua Nilva Zilah Silvatti Viana  e avenida Dr. Américo Figueiredo, o mesmo acontecendo com o reservatório de 2 milhões de litros, que já teve a sua montagem concluída, em estrutura cilíndrica metálica.

Assim que todas as intervenções projetadas estejam concluídas, o que deverá ocorrer até o final deste mês, os testes hidráulicos do novo sistema serão desenvolvidos pela autarquia, para em seguida ser dado início às operações.

Benefícios e novas obras

O novo Centro de Distribuição Ipatinga deverá não apenas atender os novos empreendimentos previstos para a zona oeste da cidade, como também beneficiar bairros já existentes, como o próprio Ipatinga e  o Quintais do Imperador, que terão as condições de abastecimento ampliadas.

Como o novo CD Ipatinga será abastecido a partir do Centro de Distribuição Sorocaba I, este último precisará de uma nova “injeção” de água, o que deverá ocorrer com a implantação de uma nova linha de adução, de 500 milímetros de diâmetro, a partir da Estação de Tratamento de Água do Cerrado, obra que deverá ser executada pela autarquia em 2018.

Saae finalizou implantação da quinta galeria das obras do RDC

clip_image001

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba finalizou na tarde de sexta-feira (01) mais uma galeria celular integrante das obras do Reservatório de Detenção de Cheias (RDC) do córrego Água Vermelha, desta vez na rua Manaus, no Jardim Paulistano. Ao todo, o projeto executivo do RDC Água Vermelha prevê sete galerias celulares, das quais cinco já foram concluídas: nas ruas Padre José Carlos Simões, Abrahan Lincoln, Capitão Bento Mascarenhas Jequitinhonha, no cruzamento da rua Visconde do Rio Branco com a avenida Washington Luiz e agora na rua Manaus. As duas restantes serão implantadas nas ruas Garcia Redondo e José Antônio Lourenço. O objetivo é possibilitar uma maior vazão das águas e a consequente  diminuição dos pontos de estreitamento do córrego, que colaboram para os alagamentos em alguns pontos daquela região da cidade.

Nesta nova galeria foram implantadas duas linhas de aduelas em concreto armado, medindo 4,5 metros de comprimento por 2,5 metros de altura cada, que formaram uma passagem de 45 metros de extensão. A galeria recebeu 45 aduelas em cada linha, que foram assentadas com a utilização de guindastes, caminhões e máquinas retroescavadeiras, e posteriormente rejuntadas com massa de cimento. Também foram utilizadas mantas geotêxteis – que servem para evitar o recalque do reaterro -, além de pedras rachão.

Após o assentamento das aduelas, a autarquia realiza o trabalho de reaterro do local, com compactadores de solo, e de acordo com o diretor-geral da autarquia, Ronald Pereira da Silva, em seguida será dado início à implantação da estrutura de concreto para o controle de vazão da bacia 2, a exemplo do que ocorreu na bacia 1, na Bento Jequitinhonha.

Saae está concluindo obras de esgoto em Aparecidinha e Brigadeiro Tobias

 

clip_image001

Os bairros de Brigadeiro Tobias e Aparecidinha estão próximos de ter a totalidade do seu esgoto sendo coletado e tratado, com as obras que o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba vem desenvolvendo naquela região, e que se encontram em fase de conclusão.

Atualmente, as intervenções estão sendo realizadas na avenida Três de Março, altura do número 3.000, onde a autarquia finaliza as obras da Estação Elevatória de Esgoto Represa e da sua linha de recalque, que serão responsáveis pelo bombeamento do esgoto produzido naquela região até a Estação de Tratamento de Esgoto Aparecidinha, que está em operação desde o ano passado.

A Estação Elevatória Represa está com as suas obras civis concluídas, o mesmo acontecendo com o seu sistema de bombas, que já foi instalado, faltando apenas o painel de comando e a energização por parte da CPFL.

Neste momento, as equipes da autarquia trabalham na implantação dos últimos 174 metros da linha de recalque desse sistema, de um total de 2.374 metros previstos no projeto, com tubos de PVC de 400 milímetros de diâmetro. A previsão da autarquia é de que as frentes de trabalho sejam concluídas até o final da próxima semana.

O projeto como um todo prevê quatro sistemas de Estações Elevatórias de Esgoto e linhas de recalque para as regiões de Aparecidinha e Brigadeiro, incluindo as unidades Represa, Vila Amato, Ponte e Cajuru. A EEE Represa está sendo concluída; a de Vila Amato já está em operação, e as unidades Ponte e Cajuru encontram-se também em etapas finais de obras, faltando apenas instalação de painéis de comando das bombas e trechos das linhas de recalque.

Saae lembra que realiza manutenções também aos fins de semana e feriados

clip_image001

Com o objetivo de atender aos chamados com mais agilidade e evitar, principalmente, os desperdícios de água, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Sorocaba enfatiza que as solicitações de reparos nas redes públicas de água, esgoto e drenagem podem e devem ser realizadas 24 horas por dia, todos os dias da semana, incluindo os sábados, domingos e feriados. 

A proposta da autarquia é conscientizar a população de que os vazamentos de água ou esgoto verificados aos fins de semana e feriados devem ser informados imediatamente, não precisando esperar a segunda-feira para registrar o comunicado, visto que em levantamento recentemente realizado foi constatado que existe uma redução de cerca de 40% nas solicitações de reparos aos fins de semana e feriados. Como consequência, nas segundas-feiras e pós-feriados ocorre um acúmulo de serviços, fato que compromete a agilidade no atendimento das ocorrências recebidas, além de provocar desperdícios, nos casos de vazamentos de água.

Dessa forma, a direção da autarquia entende que a colaboração da população é fundamental, no sentido de efetuar o comunicado imediatamente quando uma ocorrência de vazamento for detectada, por meio dos telefones 0800 770 11 95 (ligação gratuita) e 3224-5800, que também podem ser utilizados nos casos de manutenções de galerias de águas pluviais.